Saiba como as empresas estão trabalhando exercícios de ergonomia em funcionários que estão no home office


11 de agosto de 2021

Com a pandemia de Covid-19, a maioria das empresas precisou se adaptar ao novo normal e seus funcionários precisaram aderir ao home office. O home office, em tradução literal, significa escritório em casa. Porém, ele também diz respeito a quem executa o trabalho em qualquer local fora da empresa. Ou seja, o home office significa trabalhar remotamente, em um sentido mais amplo.

Ao aderir ao home office, é importante atentar às recomendações da norma regulamentadora de número 17. Essa norma diz respeito à ergonomia, condições de trabalho e equipamentos.
 

O que é a ergonomia no trabalho?

A ergonomia foi estabelecida pela norma regulamentadora NR-17. Ela garante boa condição de trabalho e se certifica de que os funcionários trabalham com bem-estar físico e mental.

O conceito é importante porque doenças comuns em ambiente de trabalho ocorrem por riscos ergonômicos, como má postura, repetição de esforço, carregar peso ou trabalhar em pé durante muitas horas. Além desse impacto negativo, os fatores também podem afetar a saúde mental do funcionário, gerando insatisfação e baixa produtividade.

Por isso, toda empresa deve se atentar à Análise Ergonômica do Trabalho (AET), que analisa as condições atuais dos trabalhadores, identifica problemas e aponta soluções.
 

E quando o trabalho é remoto?

Na pandemia, novos desafios surgiram quando o assunto é ergonomia no trabalho. Em setembro de 2020, o Ministério Público do Trabalho (MPT) apresentou diretrizes para garantir a proteção dos funcionários ao trabalhar remotamente.

De acordo com o ministério, “o teletrabalho, seja na residência da trabalhadora ou trabalhador, seja em telecentro, deve ser considerado como local de trabalho onde a pessoa deve permanecer ou tem de comparecer, sob controle, direto ou indireto, da empresa ou pessoa do empregador, deve ser adaptada às diretrizes da NR-17 (telemarketing) para a realidade do teletrabalho nos pontos em que há similitude das condições de trabalho”.

Em caso de ambiente impróprio, a empresa deve trocar o mobiliário para garantir o conforto ergonômico de seu funcionário. Ou seja, deve ser especificado o horário de trabalho, definir as pausas, alternar a postura e manter o ambiente organizado.
 

Exercícios de ergonomia no home office

As empresas devem ter atenção redobrada quando o assunto é a conscientização sobre ergonomia no home office. Algumas delas disponibilizam cadeiras do escritório para garantir o conforto e saúde do funcionário em ambiente remoto. Além disso, empresas têm investido na conscientização sobre a importância do alongamento.

A repetição de movimentos pode causar dores musculares e provocar tendinite. Um dos exercícios mais simples e que pode ser feito a cada pausa consiste em girar os pulsos nos dois sentidos e abrir e fechar os dados para relaxar as mãos.

Para auxiliar na qualidade de vida dos funcionários em home office, outra prática comum é o RH criar horários específicos para que os funcionários façam esses e outros exercícios de alongamento. É possível criar uma lista e compartilhar com os funcionários ou mesmo marcar uma reunião com quem deseja participar da rotina de alongamentos. Além disso, um profissional também pode ser convidado para ensinar como fazer os alongamentos corretamente, evitando lesões.

Em síntese, ao realizar alongamentos com frequência, as tensões musculares diminuem, além de proporcionar bem-estar físico e mental.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *