Saiba como aferir e monitorar o desgaste de EPI e tapetes de segurança


23 de julho de 2021

Segurança do Trabalho: a importância da utilização de EPI's 1

Instalar os equipamentos de proteção coletiva (EPC) adequados, bem como oferecer os equipamentos de proteção individual (EPI) para a equipe são pontos muito importantes. Afinal, além de ser obrigatório de acordo com a legislação vigente, são essas estruturas que protegerão a equipe de possíveis acidentes laborais.

Entretanto, de nada adianta instalar os tapetes de segurança ou fornecer os EPIs se a manutenção não for feita. Afinal, esses produtos não são eternos. Eles sofrem desgaste devido ao uso e precisam ser reparados ou trocados.

Para isso, é necessário tanto ficar atento à validade dos EPCs e EPIs, quanto às condições visuais deles. Veja algumas dicas de como monitorar o desgaste de EPIs e de EPCs, como, por exemplo, o tapete de segurança.

 

Fique atento à validade do EPI e do EPC

O primeiro ponto a ser levado em conta é o prazo de validade. É preciso ter uma planilha de controle, com o nome do item, data de instalação e validade do produto. Afinal, boa parte delas é feita com o uso de borracha.

Esse material, mesmo quando parado, pode sofrer ressecamento e acabar se tornando inutilizável. É por isso que, no EPI, por exemplo, além do CA, que é obrigatório por lei, há também uma validade. Assim, o primeiro passo é ficar atento à validação do monitor!

 

Durabilidade média de um EPI

Além da validade, uma maneira de monitorar o uso de EPI é considerando a sua durabilidade média, após o uso ter sido iniciado. Entretanto, é válido ressaltar que isso serve apenas como parâmetro.

Caso o colaborador avise, antes do prazo, que o EPI está com problema, a empresa tem obrigação de trocar. Veja alguns EPIs comumente usados e seus prováveis prazos de uso:

  • Luvas de PVC: 5 a 10 dias;
  • Perneira de raspa: 2 meses;
  • Avental de PVC: 30 dias;
  • Calçados de segurança: 6 meses;
  • Manga/gola de raspa: 3 meses;
  • Avental de raspa: 2 meses;
  • Respirador de fuga com filtro: 1 ano;
  • Capacete de segurança: 1 ano;
  • Cinto de segurança: Indeterminado;
  • Abafador de ruído concha: 6 meses;
  • Óculos de proteção: 6 meses a 1 ano;
  • Protetor auricular tipo plug: 1 a 2 meses;
  • Luva de raspa: 1 a 2 semanas;
  • Máscara de Solda: 1 ano.

 

Crie uma cultura de alerta dentro da empresa

Ninguém melhor para ajudar a fiscalizar as condições do EPC e do EPI do que o próprio colaborador. Dessa forma, treine a equipe para que ela esteja preparada para informar, caso note qualquer alteração nos equipamentos de proteção.

A empresa deve agir imediatamente nesses casos. Afinal, tapetes isolantes, botas, luvas, entre outros, são essenciais para a segurança de todos.

 

Faça vistorias

Por fim, é importante fazer vistorias periódicas nos equipamentos de proteção coletiva. A cada 15 dias, no mínimo, um profissional capacitado deve percorrer todo o setor para avaliar se não há:

  • Rachaduras;
  • Imperfeições;
  • Abaulamento em tapetes;
  • Falta de placas sinalizadoras, entre outros.

Essa é uma forma eficiente de manter os tapetes de segurança e demais itens sempre de acordo com a legislação. Isso é essencial para a promoção da saúde da equipe e, claro, para evitar acidentes de trabalho em sua empresa.

Na Elasta temos os melhores produtos para essas finalidades. Conte conosco e mantenha sua equipe segura!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *