Ergonomia organizacional – conheça esse conceito


07 de junho de 2021

Ergonomia organizacional - conheça esse conceito

A ergonomia organizacional se refere à relação do trabalhador com o local de trabalho. Dessa forma, deve incluir tanto o ambiente físico, os móveis e os equipamentos de proteção coletiva, quanto às relações interpessoais.

Uma vez que a empresa foque na ergonomia organizacional, ela promove a saúde, conforto e segurança no ambiente de trabalho. Consequentemente, ganha produtividade e aumenta a satisfação dos colaboradores. Além disso, esse cuidado também colabora para a retenção de talentos na empresa.

Conheça mais sobre a ergonomia organizacional e veja como ela pode beneficiar a instituição.

 

O que é Ergonomia Organizacional?

Trata-se do aprimoramento das condições de trabalho dos colaboradores. Assim, a ergonomia organizacional envolve:

  • as políticas da empresa;
  • a cooperação
  • o trabalho em rede;
  • a gestão da qualidade nos processos.

Assim, a ergonomia organizacional vai além de bons e belos móveis. Ela deve englobar tudo o que afete diretamente a saúde do trabalhador. Isso inclui, até mesmo, o oferecimento de um ambiente acolhedor e saudável.

 

Tipos de ergonomia

Como visto, a ergonomia organizacional engloba vários pontos dentro de uma empresa. Assim, vários tipos de ergonomia devem ser trabalhados para alcançá-la. Conheça as principais.

 

Ergonomia física

Engloba a parte fisiológica, anatômica e biomecânica. É a mais popular e refere-se aos ajustes feitos em móveis, equipamentos entre outros, que permitam melhorar a posição na qual o colaborador atua dentro da empresa.

Para garantir a ergonomia física é preciso focar na compra de móveis ergonômicos dentro do local de trabalho e também em áreas de uso comum como, por exemplo, refeitórios. Também é necessário investir em equipamento de proteção coletiva, como os pisos de borracha, que amortecem o impacto ao pisar.

Esses cuidados são essenciais para evitar tanto dores, quanto às doenças ocupacionais como lesões por esforço repetitivo (LER) e dores nas costas (dorsalgia).

 

Ergonomia participativa

Trata-se de encontrar formas de promover a conscientização, bem como ações de integração no ambiente de trabalho. Para isso, são criação de comitês responsáveis por fazer avaliações periódicas e apontar melhorias que devem ser feitas.

Dentre as ações previstas pela NR 17 e que se encaixa na ergonomia participativa está a Análise Ergonômica do Trabalho (AET).

 

Ergonomia cognitiva

Envolver os processos mentais dos colaboradores, ao abordar as relações interpessoais no ambiente de trabalho, bem como memória, distúrbios, entre outros pontos que envolvam os colaboradores. Leva em consideração as formas com as quais as atividades laborais afetam a mente do profissional tendo como objetivos principais:

  • manter o desempenho e a produtividade;
  • estimular a inteligência emocional;
  • proporcionar qualidade de vida;
  • manter o clima organizacional.

Na Elasta você encontra itens importantes para a ergonomia física. Confira!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *