Conheça as funções mais passivas de doenças laborais e como as empresas agem para previní-las


22 de outubro de 2021

Conheça as funções mais passivas de doenças laborais e como as empresas agem para previní-las

Conheça as funções mais passivas de doenças laborais e como as empresas agem para previní-las
Toda carreira tem os seus desafios. Algumas delas são quanto ao cumprimento de prazos. Já outras, têm como maior desafio a necessidade de atender bem. Seja qual for o caso, todas essas podem causar doenças laborais.

Essas são doenças relacionadas à atividade desempenhada no trabalho ou até ao ambiente. Assim, podem ser diversas as doenças consideradas laborais. Dentre elas, por exemplo:

• LER – Lesão por Esforço Repetitivo;
• Estresse ocupacional;
• Asma ocupacional;
• Dermatose ocupacional;
• Surdez temporária ou definitiva;
• Antracose pulmonar;
• DORT – Distúrbios Osteomusculares relacionados ao Trabalho;
• Doenças psicossociais
• Doenças na coluna;
• Contaminações e intoxicações, entre outros.

Embora todas as funções possam ocasionar doenças laborais, há algumas profissões que fazem com que isso seja mais provável. Conheça algumas delas.

Profissões com maior risco de doenças laborais

De acordo com a publicação da Associação Nacional de Medicina do Trabalho há algumas profissões que têm mais risco de desenvolver doenças laborais. Veja quais são elas!

Eletricitários

Profissionais que atuam em meio a instalações elétricas correm grande risco de levar choques, sofrer queimaduras ou até de eletrocussão. Por isso, é considerada pela publicação como a de maior risco à saúde profissional.

Trabalhadores da Construção Civil

Essas pessoas atuam com máquinas de soldas, enxadas e até ficam em locais muito altos. Tudo isso acaba colocando em risco a integridade física. Eles podem, por exemplo, cair de um local, se cortar com uma máquina ou até ter um acidente com um martelo, causando lesões. Tudo isso leva a doenças laborais.

Operadores de máquinas da metalurgia

Além do calor, esses profissionais têm que usar máquinas o dia todo. Com isso, acabam tendo maior risco de sofrer uma lesão em um membro ou até a amputação dele. Isso sem contar que são, comumente, expostos ao calor, o que faz com que tenham ainda mais chance de desenvolver doenças.

Profissionais que trabalham no esgoto

Nesse caso, essas pessoas estão expostas a muitos riscos biológicos, devido à quantidade de patógenos que podem estar presentes nestes locais. Também correm o risco químico e até mesmo de se ferir com o maquinário usado no dia a dia.

Motoboy

Seja nos grandes centros ou até nas pequenas cidades, essa é uma profissão arriscada. Afinal, as pessoas ficam expostas ao trânsito e, com certa frequência, se acidentam. Muitas vezes, sofrem fraturas e, em outras, até lesões irreversíveis.

Mineradores

Estão constantemente expostos a poeiras de sílica. Sem contar que também atuam com explosivos, que são usados na detonação e que também colocam em risco a saúde e a vida do trabalhador.

Profissionais que trabalham em frigoríficos

Além do risco de lesão, por frequentemente usarem objetos perfurocortantes, quem trabalha em frigorífico também é exposto a temperaturas baixas. E isso pode colocar a saúde em risco, levar ao desenvolvimento de doenças respiratórias, por exemplo.

Assim, nesses e em outros casos, muitas vezes, é possível evitar que as doenças laborais aconteçam. Para isso, é preciso que a empresa instale os equipamentos de proteção coletiva corretos e distribua os equipamentos de proteção individual para a equipe.

Saiba mais sobre o monitoramento de EPIs e EPCs e evite lesões em sua equipe!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *